Igreja Virtual
Faça Parte
Mantenedores
Atividades
Ministério
Membros
Online
Parceiros
Campanhas

Ligados em Deus,

Quantas pessoas seriam afetadas se alguém (eu ou você) se afastasse de Deus?


Em maio de 1998, uma falha num processador a bordo do satélite de comunicação Galaxy IV fez com que ele saísse de posição e se afastasse da Terra. Num instante, centenas de empresas, estações de Rádio e de TV foram afetadas; 40 milhões de aparelhos pagers também se tornaram obsoletos, simples pedaços de plástico sem nenhuma utilidade – tudo porque um satélite pegou um caminho errado, se afastou de sua função.


Isso nos faz pensar: Quantas pessoas seriam afetadas se alguém (eu ou você) se afastasse de Deus? E ainda, o quanto nós mesmos seríamos afetados por nos afastarmos de Deus?


Jamais devemos nos esquecer que Deus nos fez de um modo especialmente único, como se tivesse jogado a forma fora. Ninguém jamais será igual ao outro. E o que cada um de nós é na vida só tem um real sentido se estiver em conexão com Deus.


Assim, cada um de nós precisa se perguntar: Que valores há “por dentro” de minha vida? Sou o que realmente sou, ou apenas tento ser o que não sou? Estou valorizando coisas mais do que a mim mesmo, ou mais do que as pessoas ao meu redor? O que revelam as minhas prioridades na vida?


Jesus falou a respeito de um agricultor que pensava ter uma boa vida, mas que, no fim das contas, estava redondamente enganado sobre as reais prioridades da vida. O seu campo produzira com abundância, o que era uma bênção. Ele pensou em derrubar os celeiros antigos e construir outros novos e maiores ainda, para recolher todo o produto de sua grande colheita.


Tudo parecia perfeito. Então, ele disse a si mesmo: “Tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e regala-te”. Mas Deus lhe disse: “Louco, esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?”. Jesus acrescentou: “Assim é o que entesoura para si mesmo e não é rico para com Deus” (Lc 12.16).


A mensagem de Jesus era clara: quem se afasta de Deus e coloca suas prioridades em coisas está tramando contra a própria vida, contra o próprio futuro. Ele não estava falando contra alguém possuir bens, mas contra a coisificação da vida, quando a supervalorização do que se tem substitui o real valor do que se é. Afinal, o que é guardado em celeiros, ou bancos, nada pode fazer por nossas almas.
Em uma sociedade acostumada com a inversão de valores a respeito do real significado do “ter” e do “ser”, e do peso que estes conceitos têm na vida, não são poucos os que medem o seu valor (e o dos outros) pelo meramente aparente, pela exterioridade latente.


A citação de Jesus da realidade inefável da morte tem o condão de confirmar o fato de que, para alguns, é necessário a cena desagradável e chocante de um velório para demonstrar que “as coisas que se vêem são temporais, mas as coisas que se não vêem são eternas” (2 Co 4.18).


É inegável que cada vez mais as pessoas carecem de sentido na vida, têm fome de significado na sua existência vazia. Alguns vivem sempre em busca de honrarias, tentando a todo custo ser celebridades.
Quem desconhece que o valor pessoal que realmente conta é “o que há por dentro”, também não percebe que a celebridade que vale a pena é a “lá de cima”, ou seja, conhecer a Deus e ser conhecido por Ele e permanecer ligado com Ele na vida e na morte.


Afinal, quem realmente vive segundo os valores espirituais e coloca toda a sua esperança em Deus é que será reconhecido e convidado a viver a inefável e eterna glória celestial.
Estar ligado em Deus é o maior bem e traz os maiores benefícios. Por exemplo:
Nova vida: “Se alguém está (ligado) em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas” (2 Co 5.17).
Libertação: “Se vós permanecerdes (ligados) na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos; e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará” (Jo 8.31-32).
Resposta de oração: “Se permanecerdes (ligados) em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (Jo 15.7).
Realização pessoal: “Como não pode o ramo produzir fruto de si mesmo, se não permanecer na videira, assim, nem vós o podeis dar, se não permanecerdes (ligados) em mim” (Jo 15.4).
O melhor da vida está em Deus.

Fique ligado!

Igreja Virtual
Faça Parte
Redes Sociais
fale conosco